Eliton Franco, diretor presidente do Procon participou do programa "O Estado É Notícia" e fez o balanço da atuação do Procon no ano de 2018.

Eliton falou da atuação e das responsabilidades do Procon. "O Procon é um órgão que tem poder de polícia dentro da estrutura de governo. Nós temos vários instrumentos para exercer  esse poder, entre eles a aplicação de multas, interdição, suspensão de alvará e a edição de instrumentos proibitivos ou "orientativos". No ano de 2018 nós fechamos até 31 de dezembro mais de 6 mil atendimentos, ou seja; nós acolhemos demandas, diretamente no balcão do Procon na nossa sede, ou aonde estamos instalados como Superfácil".

Eliton Franco falou das instituições que "rankeiam" as reclamações feitas ao Procon. As instituições financeiras são responsáveis por 42% das reclamações. Em serviços essenciais, onde estão telefonia, internet, eletricidade. A CEA recebe um grande número de reclamações, chegando a liderar o ranking em 2017. O Procon tem vários processos contra a CEA, inclusive a empresa firmou um termo de cooperação com o Procon, discutido com a própria promotoria, com o promotor Luis Marcos, alinhado com a diretoria executiva da CEA e hoje a empresa tem um box dentro do Procon.


Em relação as reclamações contra instituições bancárias, a maior reclamação é a demora no atendimento. Franco chegou a mencionar a interdição de uma agência bancária, por não se adequar as exigências feitas, condicionadas ao seu funcionamento.

A telefonia móvel é responsável por 27% das reclamações no Procon.

Fonte: O Estado É Notícia